CALENDÁRIO DE CURSOS 2017

Cursos para Assessores de Eventos Sociais em 2017 em São Paulo:

Cursos para Assessores de Eventos Sociais:

18.03.17 (Sábado) – São Paulo

08.04.17 (Sábado) – Belo Horizonte

14.04.17 e 15.04.17 (Sexta –feira e Sábado) – Cuiabá

29.04.17 (Sábado) – Rio de Janeiro

08.05.17 (Segunda-feira) - Palestra com Adriana Gunther & Katia Cardoso do Básico ao Avançado

Cursos para Assessores –Especialização em Casamento Homoafetivo:

19.03.17 (Domingo) – São Paulo

Outras datas de São Paulo e demais Estados, ainda sem programação!

sábado, 28 de agosto de 2010

Casamento: confira as tendências dos buquês de noiva



Parece apenas um detalhe, mas não é. Os buquês de noiva têm tendências, segredos de confecção e cuidados para que nada estrague o momento. Buquês simples, uma única flor e detalhes customizados são algumas das novidades que movimentam o mercado. A escolha das flores também. “Atualmente, a tulipa é muito cotadapara um buquê, já que ela está há pouco tempo no mercado nacional”, diz Daniela Toledo , da Fulô Jardinagem e Flores.

As finalizações também são detalhes importantes. Em buquês grandes, um florista é fundamental: há uma técnica para que ele não desmanche . A escolha é pessoal. “O buquê é uma extensão do vestido. Sempre aconselho toda noiva a fazê-lo com uma flor que ela adora”, diz.

Foi o caso da jornalista Alessandra Niskier. “Quando cheguei ao florista, vi muitas fotos e não gostei de nenhum. Disse que queria copos-de-leite, minha flor preferida. Mas minha mãe foi contra, achou que iria ficar bruto, porque são flores grandes. Estava quase convencida, mas triste. Aí, o florista me aconselhou a fazer o que queria. Ele poderia escolher os menores copos-de-leite que encontrasse para fazer um buquê mais delicado. Topei”, recorda. O resultado: combinou com o vestido e com a decoração. Tanto, que ela só jogou o buquê porque é uma tradição. “Eu gosto dos tons escuros, como o vinho. Foi a cor do meu buquê. Mas tudo depende da decoração da noiva, do estilo do vestido e da época”, conta Cíntia Costa, editora do portal Planejando meu Casamento e autora de um livro com o mesmo nome.

Os adereços são muitos. “Algumas noivas gostam de personalizar, com um pedaço de tecido do vestido, ou com um terço da família, ou uma fita especial comprada já pensando no casamento”,ensina Daniela. A pesquisa na internet também é fundamental. Desde comunidades em redes sociais a portais especializados, como o balado The Knotque publicou até um livro só sobre este assunto. “Isso ajuda a divulgar e a manter os bons profissionais no mercado”, explica Simone Souza, do Hora do Sim. E quando fornecedor não é bom, a notícia se espalha nas dezenas de fóruns.Simone diz que o especialista ajuda até na hora de ensinar a noiva a segurar o buquê. "Tem uma técnica, senão ela vai fazer o buquê tremer", diz.

Orçamento apertado: elas fazem seus buquês

Algumas noivas preferem elas mesmas cuidarem da confecção. “Para que funcione, tem que ser simples - se quiser qualquer coisa mais elaborada, melhor comprar com um florista”, diz Cintia. Elas dá algumas dicas. “Um exemplo bacana que você pode fazer em casa é buquê de copos de leite ou callas, como fez minha prima em seu casamento. Ela apenas juntou algumas callas vinho bem bonitas, cortou os caules na mesma altura, amarrou e passou uma fita branca grossa em volta. Ficou lindo de morrer e saiu super em conta.”, ensina.

A jornalista Bianca Kleinpaul fez o mesmo. “Como ia ser em uma casa com jardim, cheio de verde, queria que ele parecesse com flores do próprio jardim, como se eu tivesse colhido ali na hora. Fui na floricultura da Cobal, já em mente a cor diferente do vermelhão da decoração, e fui pegando tudo que era laranjão, amarelão, verdão, e eu mesma fui montando. Tirei foto, o vendedor anotou tudo e um dia antes fui lá pegar”.

Um buquê mais complexo exige conhecimento. “Por exemplo, dependendo do estilo, você tem que colocar as flores para abrir”, diz Simone. A recomendação é procurar os floristas com pelo menos uma semana de antecedência, para que tudo dê certo.



Fonte: gnt.globo

Casamentos: especial mostra novidades sobre tradicional cerimônia



Setembro é o novo maio. O mês passou a ser um dos mais concorridos quando o assunto é casamento. O GNT começa uma série de matérias especiais: a festa, o bufê, os vestidos e a decoração serão os quatro temas que você confere toda terça-feira no site.

A mudança de época tem explicação. “O mês tem uma temperatura gostosa e é charmoso”, explica Emanuelle Missura, uma das cerimonialistas mais disputadas no Rio de Janeiro.

Para ela, a mudança de data começou porque o mês de maio concentrava todas as cerimônias. Era impossível conseguir datas. Logo as noivas descobrira a nova temporada. “Em setembro, não está mais frio e, ao mesmo tempo, o calor não começou”, pondera. Sem falar nas flores, já que é nesta época que começa a primavera.

Dicas para a sua cerimônia
Tamanho Único: o que vestir

Se você está pensando em casar, previna-se. Um bom casamento deve ser preparado com pelo menos um ano de antecedência. “Se for um ano e meio, melhor ainda. Parece muito tempo, mas é preciso ter calma para conseguir resolver todos os detalhes”, diz Emanuelle.  A primeira coisa é definir a igreja e o local da festa, para reservar a data. Os profissionais que devem estar presentes no dia do casamento também devem ser contatados logo.

“Comecei a preparar o meu casamento com onze meses de antecedência e tive dificuldades”, conta a administradora de empresas Renata Alexim, que casou com o economista Gustavo Sued no início de agosto. Ela diz que preferiu uma festa para apenas 200 convidados o que também é uma tendência.

Dicas para não errar na organização

O casamento tradicional nunca sai de moda. “Mas hoje em dia, eles são mais personalizados”, revela Emanuelle. Muitas vezes, são os próprios noivos que arcam com as despesas da festa. Mas, mesmo quando são os pais da noiva, o casal costuma escolher os mínimos detalhes. “O bom senso é fundamental. Na cerimônia não dá para ser criativo. O ideal é manter mesmo a tradição. Já soube de uma noiva que entrou de perna de pau na igreja e cuspindo fogo”, diz a cerimonialista, quase sem acreditar. “A criatividade fica para a hora da festa”, complementa.

Para Renata, um dos pontos altos de sua festa foi um vídeo, uma espécie de mini-documentário em que a história do casal era contada pelos amigos. “Muita gente não conhecia detalhes do nosso encontro. Ficou muito divertido”, lembra.  “Dispensei algumas coisas, como escola-de-samba no final da festa. Não tinha a ver com a gente”, conta Renata.

A noiva fez questão de alguns detalhes, como as sandálias de dedo distribuídas de brinde. “Sempre que vou a uma festa de salto alto, acabo me divertindo menos”, explica. Recém-casados, Renata e Gustavo acabam de voltar de uma lua de mel. Como anda a vida a dois? “Ainda estamos relembrando a festa, escolhendo as fotos. Nossa casa está um mar de presentes”.

Foto de divulgação: Casar é fácil/ Carolina Cattan

Casamento: dicas para não errar na organização



Muitos casais fazem sites do casamento, com o convite, lista de presentes, RSVP, fotos dos noivos e mural de mensagens.

. Atualmente, existem diversos horário em uma mesma igreja. Caso os noivos desejem, eles podem fechar a igreja com exclusividade. É um pouco mais caro mas, dessa forma, é possível casar na hora desejado. Quando existem vários casamentos, há a possibilidade de atrasos.

. Uma novidade por aqui é o "save the date", espécie de pré-convite avisando aos convidados o dia da cerimônia. Assim, eles podem ser programar com atencedência. O convite vem depois. Levar o convite em mãos é a coisa do passado.

. Pedir dinheiro para a lua-de-mel? “Tem que ser feito com discrição e apenas para os convidados mais íntimos, se eles perguntarem”, diz a cerimonialista Emanuelle Missura. Ainda assim, é bom que os convidados saibam o que estão presenteando. “Devem saber, por exemplo, que o dinheiro será usado para um passeio romântico de gôndola”.

Na cerimônia


. Ao escolher o fotógrafo e cinegrafista, lembre-se: eles devem ter um equipamente que possibilite registrar tudo sem interferir na cerimônia.

. No caso de cerimônias em sinagogas ou mesquitas, o ideal é que os convidados sigam a tradição. “Aceite o quipá para cobrir a cabeça, mesmo não sendo judeu. Ou um véu para cobrir-se numa mesquita mulçumana”, explica a consultora Glorinha Kalil no seu livro “Chic (érrimo)”.

. E quanto ao número de padrinhos e madrinhas? “Não pode ser exagerado. Os noivos esquecem que vão ter que tirar fotos com todo mundo”, lembra. Faça as contas: num casamento em que cada um tem 11 casais de padrinhos e madrinhas, são pelo menos 44 pessoas no altar, sem contar com os pais e noivos. “O tamanho da igreja também deve ser levado em conta nesta hora”, explica a cerimonialista.

. Atenção os fãs de redes sociais: cuidado com o uso de celulares, mesmo que sejam para gravar ou fotografar. Não devem atrapalhar a cerimônia.

Como inovar


. Em relação aos convites, o tradicional é o mais indicado. “Um convite mais lúdico pode fazer sentido, dependendo da cerimônia. Mas se é um casamento na igreja e uma festa em uma recepção, não tem porque inovar”, diz.

. Clássicos que nunca vão sair de moda: o bem-casado e o bolo. "Já os noivinhos decorando, estão sendo menos usados. Flores naturais também são eternas”, diz Emanuelle.

. Cuidado com os casamentos temáticos. “Uma coisa é você casar no campo ou na praia. Outra coisa é uma festa à fantasia, típica ou carnavalesca, com fogueiras, tochas, charretes”, lembra Kalil. Para ela, tanta criatividade deve ser guardada para um aniversário.

Fotos: Divulgação / Casar é fácil / Carolina Cattan

Fonte: gnt.globo

Especial casamento: erros, acertos e tendências na hora de servir



Tudo que as noivas querem é que o seu casamento saia perfeito. Afinal, é um dia de sonhos para o casal e família. Para esse dia especial não virar um pesadelo, nada como fazer as escolhas certas na hora de escolher o bufê.  As chefs batem o martelo: não existe mais a hora do jantar. E a maneira de servir mudou. E, com ela, toda a logística da festa.

Dicas de como fisgar os convivados pelo estômago
Vestido de noiva, um sonho para vestir
Tendências das cerimônias de casamento 

“Não dá pra imaginar os convidados com fome esperando a hora do jantar. O casamento é um evento em que todos se mobilizam desde cedo. Além disso, ficar sentado na mesa esperando ser servido não dá uma dinâmica bacana entre os convidados e a festa fica desanimada“, opina Andréa Tinoco que assina os menus para os casamentos mais badalados do país. Para não errar aposte em: miniporções volantes democráticas e estações fixas com iguarias finas. A idéia é inovar, mas sem exageros. A dica principal é que a comida fique disponível durante toda a festa.

Das mais descontraídas às mais sofisticadas, as especialistas sugerem que se saia do lugar comum.“Jantares muito tradicionais perderam espaço para as opções mais dinâmicas, que podem ser servidas em pratinhos divertidos, de barro queimado e até mesmo em cabaças pequenas”, diz a chef Ana Roldão. Ela diz que os casamentos de manhã e à tardinha estão voltando à moda. Pela manhã cedinho, um brunch pode substituir um almoço. E mesmo o almoço pode ser mais dinâmico, em porções com receitas provençais.

E as bebidas? "Champanhe sempre", sugere Janine Sad. E dá a saída quando a grana é curta. “Os espumantes estão com preços acessíveis e o fundamental é servir a bebida gelada, não importa se é a mais barata”. Ou seja,  não adianta insistir em adquirir um espumante de primeira qualidade, se a temperatura não está correta. Os convidados acabam abandonando a taça cheia e o desperdício é muito maior. Uma dica bacana é que a maioria das lojas faz consignação. “É importante estar antenado com isso para que não haja economia na bebida na hora da festa e não tenha perigo de faltar”, lembra Janine.

Mas o que não muda é o serviço. Dica essencial: não economize nos garçons. Um para dez pessoas é o ideal. De nada adianta petiscos incríveis e ter um serviço capenga,  capaz de deixar os convidados ansiosos pela comida, correndo atrás das bandejas.

Divulgação/ Ana Roldão Buffet

Fonte: GNT.Globo