CALENDÁRIO DE CURSOS 2017

Cursos para Assessores de Eventos Sociais em 2017 em São Paulo:

Cursos para Assessores de Eventos Sociais:

18.03.17 (Sábado) – São Paulo

08.04.17 (Sábado) – Belo Horizonte

14.04.17 e 15.04.17 (Sexta –feira e Sábado) – Cuiabá

29.04.17 (Sábado) – Rio de Janeiro

08.05.17 (Segunda-feira) - Palestra com Adriana Gunther & Katia Cardoso do Básico ao Avançado

Cursos para Assessores –Especialização em Casamento Homoafetivo:

19.03.17 (Domingo) – São Paulo

Outras datas de São Paulo e demais Estados, ainda sem programação!

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Bufê sustentável transforma dança em energia elétrica

Iluminação com lâmpadas tipo led ajudam a poupar energia


O chef Eric Thomas é conhecido no meio gastronômico de São Paulo por ser o proprietário do Tantra, um restaurante de comida oriental e exótica. Agora, ele pretende se tornar famoso por um investimento ainda mais raro, o primeiro bufê sustentável do Brasil. 

A ideia surgiu em uma festa corporativa que recebeu entre os convidados familiares dos funcionários. Entre eles, 200 crianças. “Eu vi a energia deles e pensei se não seria possível utilizar tudo aquilo”. Thomas viajou para Europa e Estados Unidos para conhecer empreendimentos construídos, mas não encontrou nenhum projeto que fosse completo. “O que eles divulgam não é verdade. Eu fui à Califórnia, Alemanha, Holanda”, conta. “Um outro lugar dizia que cultivavam todo o hortifruti: eram dois vasos de hortelã”. A saída foi combinar tecnologia de ponta com soluções nacionais ou criadas por ele mesmo ao lado de uma equipe de arquitetos e engenheiros. 

O resultado de seis meses de trabalho pode ser conferido desde agosto na Eco House, dedicada a festas, inclusive infantis, e eventos privados. O próximo desafio da casa é a obter o certificado AQUA, similar brasileiro a outras certificações internacionais voltadas para empreendimentos “verdes”. “O projeto é muito bacana, eles são pioneiros no mundo. Eu conheci e pude presenciar o sistema de captação de água de chuva, a gestão da água, a questão de plantas na parede que ajudam a dar um conforto acústico e pirotérmico, de temperatura e umidade do ar”, opina Bruno Casagrande, da diretoria do AQUA. Com o certificado em mãos, o objetivo de Thomas é ceder a tecnologia desenvolvida por meio de franquias. O resultado deve sair até o final do ano.



Paredes com madeira prensada e folhada mantem temperatura e umidade ideais


O empresário, porém, enfrenta dificuldades em colocar o conceito em prática. Um exemplo é a inexistência de coleta seletiva de lixo na região de Pinheiros, onde a Eco House está localizada. A solução foi transportar os resíduos até os depósitos localizados em lojas da rede Pão de Açúcar. A laje verde também não consegue absorver todo o material orgânico dispensado na produção dos pratos. “O limite de absorção de resíduos para compostagem está entre 5% e 10%”,  lamenta Thomas. Quando não chove, o abastecimento do reservatório é feito com caminhões-pipa e alimentos vindo de plantações que ficam a uma distância de até 100km do restaurante têm prioridade. “Comida é complicado, se eu pegar a ideia de sustentabilidade ao pé da letra, teria um restaurante vegan”, conta o chef, que no dia da visita da reportagem serviu filet de shitake, namorado com especiarias e refogado de legumes para um grupo de representantes de uma marca de cosméticos.

Entre outras iniciativas de contribuição social, o bufê patrocina a educação dos funcionários que ainda não tem o segundo grau. Thomas, porém, teme o radicalismo que muitas vezes permeia as questões ambientais, tem aversão à ideia de se transformar num "ecochato": "Depois de um evento na Eco House você não sai querendo abraçar uma árvore”. Será?



Ideias sustentáveis da EcoHouse
Salão principal

O chef Eric Thomas em ação: fogão aquece água utilizada na cozinha


1) No primeiro piso fica uma área com cozinha, restaurante, bar e uma pista de dança. Toda a energia utilizada é gerada ali mesmo, enquanto os convidados chacoalham o esqueleto sobre o piso que transforma energia cinética em energia elétrica. Cada pisada é o suficiente para acender uma das lâmpadas led utilizadas no local;

2)A energia excedente fica armazenada e pode ser gasta em outros eventos;

3) A água captada da chuva é armazenada no subsolo e é reutilizada;

4) As chamas do fogão industrial aquecem a água que corre em uma serpentina e é utilizada na cozinha;

5) As paredes são forradas por uma espécie de jardim suspenso, com revestimento feito com cascas de coco prensadas e madeiras de reflorestamento;

6) As privadas têm dispositivos de descarga que disparam mais ou menos água e as portas das cabines são de Kombi.




Laje verde
1) A laje é tomada por um canteiro, onde é plantada parte dos ingredientes utilizados na cozinha;

2) Produtos cultivados numa distância de até 100km do restaurante têm prioridade.

ECO HOUSE Rua Amaro Cavalheiro 158 , Pinheiros, tel.: 3846.7112/3846.7112. Locação: R$ 5 mil (com móveis). Menu - com open bar, entradas, prato principal e sobremesa - a R$ 100 por pessoa (inclui coordenação, garçons e segurança). http://www.ecohouseeventos.com.br/